Período da Páscoa deve gerar 300 vagas temporárias na capital

Autor: G1

Publicada em


A um mês da Páscoa, a fabricação dos ovos de chocolate abre muitas vagas temporárias. O movimento já começou nas lojas e fábricas em Salvador. De acordo com Serviço de Intermediação para o Trabalho (SineBahia), cerca de 300 vagas devem ser criadas nesta Páscoa para contratações temporárias.

Nas prateleiras de uma loja especializada em chocolate, os ovos de Páscoa já estão à venda. A expectativa é comercializar 20% mais do que no mesmo período do ano passado. A empresa tem sete funcionários e deve aumentar o quadro para 12, com a contratação de vendedores temporários. “Ele tem que se mostrar bem disponível. A dedicação é exclusiva, não tem jeito. Período de grande movimento ele vai chegar cedo, repor loja, tem que limpar, fazer de tudo”, recomenda Luciana Souza, empresária.

João Carlos entrou como vendedor temporário no Natal do ano passado e continuou na loja. “Compromisso a partir de tudo. Dedicação também e a vontade de querer ficar mais e mais, não só ficar como vendedor, mas, se em breve, futuramente, sigo o exemplo da patroa, que é ter uma franquia”, almeja o jovem.

Uma fábrica de chocolates artesanais, no Pelourinho, entrou no ritmo de Páscoa logo depois do carnaval. Pirulitos de coelhinho, ovos de todos os tamanhos e recheios que devem chegar a uma tonelada. A produção da Páscoa é cinco vezes maior do que a de um mês comum, e para isso é preciso mais mão de obra.

A comerciante Rita Brandão, dona da fábrica, está otimista com as vendas desta Páscoa e deve empregar mais funcionários. “Esse ano, graças a Deus, está (sic) chegando muitos pedidos de orçamentos. Acabamos de receber um pedido de orçamento de 10 mil ovos. Então, se esse pedido se concretizar, nós contrataremos mais 10 ou 15 pessoas”, destaca.