Polícia Federal combate fraudes ao auxílio emergencial em Simões Filho

Polícia Federal combate fraudes ao auxílio emergencial em Simões Filho
Polícia Federal combate fraudes ao auxílio emergencial em Simões Filho. Foto: divulgação

Polícia Federal combate fraudes ao auxílio emergencial em Simões Filho

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta segunda-feira, 9, a Operação “Primeira Parcela”, que tem como objetivo identificar e desarticular suspeitos e organizações criminosas que cometeram fraudes para utilizar o Auxílio Emergencial de forma indevida na Bahia, em São Paulo e no Tocantins.

>Senai inicia inscrições gratuitas para cursos em Simões Filho

>Kombi roubada é encontrada pela PRF abandonada em Simões Filho

Na Bahia, a ação é executada na cidade de Simões Filho, onde são cumpridos quatro mandados de prisão temporária e sete mandados de busca, que foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Justiça Federal. Também foi autorizada a quebra do sigilo bancário das contas dos investigados e o bloqueio dos valores depositados, além de sequestro de veículos usados pelos suspeitos.

Para a realização da operação, foi apurado que os suspeitos utilizaram de forma indevida os dados de outras pessoas para realizar cadastro de recebimento do Auxílio Emergencial e transferiram os valores para suas contas, através de boletos bancários. Segundo a PF, a quadrilha teria cadastrado ao menos 59 contas de forma indevida, o que resultou no desvio de, aproximadamente, R$ 33 mil. Há possibilidade de que o valor seja maior, já que os dados se referem a um curto período analisado e, também, apenas aos casos em que as vítimas formalizaram contestação junto à Caixa.

>Auxílio emergencial: veja o calendário da primeira semana de novembro

Os suspeitos irão responder pelos crimes de furto qualificado mediante fraude (art. 155, § 4º, II, Código Penal), lavagem de dinheiro (art. 1º, Lei 9.613/1998) e organização criminosa (art. 2º, Lei 12.850/2013), cujas penas, somadas, podem alcançar até 26 anos de reclusão.

“Primeira Parcela”

A ação é resultado da Estratégia Integrada contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF) o Ministério da Cidadania (MCid), a CAIXA, a Receita Federal (RF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU).

Milhões de pessoas voltarão à pobreza com fim do auxílio emergencial 

“Primeira Parcela” faz alusão ao pagamento das parcelas do Auxílio Emergencial, sendo que se trata da primeira ação conjunta da EIAFAE em mais um estado no combate a grupos criminosos e fraudes massivas ou estruturadas em relação ao benefício do auxílio.

Todos os pagamentos feitos de forma indevida são analisados pela Polícia Federal e das demais integrantes da EIAFAE. Então, caso o indivíduo tenha requerido ou recebido as parcelas sem preencher os requisitos, devem avaliar a devolução dos valores, sob pena de estarem passíveis de ter sua ação objeto de investigação criminal em ações que continuarão a ser realizadas.

>Recebeu Auxílio Emergencial sem ter direito? É preciso devolver!

Veja mais