Policial executa namorada em festa universitária e depois se mata

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Uma estudante foi morta a tiros na noite de sábado (22) durante uma festa universitária na zona norte de São José dos Campos (SP). Segundo a Polícia Civil, o autor do crime era policial militar em São Paulo e se matou logo em seguida. Polícia Civil informou que os dois seriam namorados.

O churrasco de pré-formatura acontecia em uma chácara no bairro Vila Rossi e reunia formandos de diferentes universidades da cidade. De acordo com informações de testemunhas, o policial Wellington Landim, de 24 anos, atirou contra a estudante de Direito Mariana Angélica, de 22 anos, durante uma discussão no local. Em seguida, Wellington se matou.

Após o crime, equipes da polícia estiveram no local ouvindo seguranças e convidados do evento, colhendo informações sobre o caso. Segundo o boletim de ocorrência, os jovens chegaram juntos na festa e, durante a discussão, o policial, que estava de folga, efetuou dois disparos contra a estudante. Ele se matou em seguida. Um jovem de 22 anos foi atingido de raspão por resquícios das cápsulas disparadas pela arma de Wellington.

O caso foi registrado como homicídio, suicídio consumado e lesão corporal. Foi realizada perícia no local e exames necroscópicos e toxicológico no policial envolvido. A pistola utilizada na ação foi apreendida. A Polícia Civil ainda está investigando as causas do crime.

Outro lado
O advogado Jamil José Saab da empresa Atlas Imagem & Cia, uma das organizadoras da festa, disse que os seguranças pediram para o policial, que seria convidado da estudante, não entrar armado no local. O homem, porém, teria se recusado a deixar o revólver no carro, alegando que por ser policial, poderia permanecer armado no local.