Major mata mulher a tiros dentro de escola municipal em Salvador

Autor: Aratu Online

Publicada em


Ironicamente, um crime violento aconteceu na manhã desta sexta-feira (13/5). Um militar do Corpo de Bombeiros invadiu a Escola Municipal Esperança de Viver e disparou contra a vice-diretora da instituição, Sandra Denise Costa Alfonso.

De acordo com informações da Central de Polícias, Sandra, que também era professora, estava sozinha em uma sala quando foi surpreendida pelo PM. O atentado aconteceu durante a saída dos alunos.

A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Segundo testemunhas, após os disparos o suspeito pulou o muro da escola e fugiu. Valdiógenes Almeida Junior, que tinha um relacionamento com a professora, é conhecido como Major Almeida e atua como sub-comandante do Terceiro Grupamento do Corpo de Bombeiros. Ele já foi localizado e irá se apresentar à polícia.

Valdiógenes Almeida Junior, sub-comandante do Terceiro Grupamento do Corpo de Bombeiros. Suspeito de matar professora.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação lamentou a morte da educadora:

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) se solidariza com familiares e amigos pela perda trágica da professora Sandra Denise Costa Alfonso, 40 anos, que atuava como vice-diretora e professora na Escola Municipal Esperança de Viver, em Castelo Branco. Profissional atuante e comprometida, Sandra era muito querida pelos alunos e colegas de trabalho e o assassinato dela consternou a todos.

A Smed está prestando toda assistência necessária com auxílio de psicólogos e assistentes sociais aos familiares da vítima, bem como alunos e funcionários da escola. Sandra ingressou na rede municipal em 2007 e desde 2010 atuava na Escola Municipal Esperança de Viver. Sua conduta como servidora foi sempre exemplar. O dia é de luto na Educação municipal e as aulas na unidade escolar onde ocorreu o crime estão suspensas por tempo ainda indeterminado.

O crime será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Este é o segundo crime de ódio praticado contra mulheres, vítimas de seus então companheiros, em duas semanas. Na última terça-feira (10/5), Jéssica Nascimento, 21 anos morreu após ser espancada pelo namorado. O motivo foi a gravidez da jovem.

*Aratu Online