População continua sofrendo com a saúde pública em Simões Filho

.

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Leitor/WhatsApp

A população de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) continua pagando alto preço, pela ineficiência da atual administração municipal, especialmente no que se refere às necessidades básicas da população, como saúde e infraestrutura.

A falta da atenção básica nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), por exemplo, é uma das queixas mais comuns da população, principalmente para as comunidades afastadas do centro da cidade, como os distritos de Aratu, Ilha de São João e Mapele.

Na manhã desta segunda-feira (26/11), uma situação bastante grave foi relatada por um munícipe nas redes sociais. Por causa da falta de manutenção em uma geladeira, centenas de crianças estão deixando de ser vacinadas, diariamente, na Unidade de Saúde da Família Péricles Reni de Souza, localizada no distrito de Aratu.

Revoltado com a situação, o morador questionou o prefeito Diógenes Tolentino pelas promessas de campanha, quando criticava a gestão anterior e dizia que em sua administração, as necessidades básicas do povo seriam sempre atendidas.

“O prefeito Dinha falou tanto sobre vacinação nos postos, que essas coisas básicas não eram para faltar. Aqui nos postos de Aratu e Ilha de São João continua sem vacina. Minha netinha está sem vacinar porque não tem uma geladeira. Uma geladeira que não custa nem mil e duzentos reais está faltando nos postos. Que vergonha. Agora, quando estava fazendo campanha para se eleger dizia que estas coisas não iram faltar. Cadê você agora Dinha?”, indagou o morador.

Ainda segundo a comunidade, os problemas dos distritos não se resumem a saúde não. O prefeito Dinha tem demonstrado um verdadeiro descaso com essas localidades que também, conforme os moradores estão abandonadas, sem infraestrutura, iluminação e assistência social.