Professores da rede municipal decretam estado de greve em Simões Filho

A Decisão foi tomada nesta sexta-feira (11), durante assembleia geral da categoria.

Autor: Simões Filho Online | Foto: Jerffeson Brandão - Simões Filho Online

Publicada em


Depois de tentar negociar com o poder executivo, os educadores da Rede Municipal de ensino, deflagraram ‘estado de greve’. A decisão da categoria foi tomada na manhã desta sexta-feira (11), durante assembleia geral, na Câmara Municipal, em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador. A reunião, que foi presidida pela coordenação daAPLB-sindicato de Simões Filho, com a participação da executiva estadual, Olivia Mendes, debateu sobre as condições de trabalho e a falta de merendas nas escolas.

Cerca de 300 professores saíram em caminhada pela ruas da cidade protestando na manhã desta sexta-feira (11)

Quanto ao início da greve, a Diretora Jurídica da APLB-sindicato Simões Filho, explicou que na próxima semana os educadores vão iniciar as conversas com os alunos e pais para explicar o motivo da paralisação.  “Já estamos estado de greve. Segunda-feira vamos às escolas informar a comunidade e aos alunos, sobre o nosso movimento. Enviaremos um oficio ao prefeito Eduardo Alencar para oficializar o estado de greve, de acordo com lei de 72 horas”, disse Eneida Santos.

A categoria também decidiu realizar uma nova assembléia na próxima sexta-feira (18). Caso não haja acordo, a greve oficial será realizada a partir das zero hora do próximo dia 21 de março. “Sexta-feira se não houver avanço real, a categoria irá entrar em greve por tempo indeterminado. No momento temos que cumprir as questões legais, mas sexta-feira não havendo avanço, é greve!”, garantiu a Diretora Jurídica da APLB.

A classe reivindica que se aplique a lei, paguem o retroativo, melhorem as condições das escolas e denuncia que está faltando merenda escolar nas escolas da rede municipal.

O Secretário Municipal de Educação, Jorge Sales, disse em entrevista ao Simões Filho Online que não vai se posicionar até que o município seja informado oficialmente sobre a greve. “Nós temos que aguardar o sindicato oficializar, para que a gente possa se posicionar e a partir daí fazer alguma coisa. Até então não tenho conhecimento de greve, nem sei os motivos”, afirmou Jorge.

Atos públicos
O sindicato tem feito diversos atos. O último deles, aconteceu na manhã da sexta-feira (11), quando cerca de 300 professores saíram em caminhada pela ruas da cidade protestando contra o Prefeito Eduardo Alencar (PSD). Após percorrerem as principais ruas do centro, os educadores foram para frente da prefeitura municipal. Lá, eles pediram a presença do prefeito Eduardo Alencar (PSD). ” Prefeito cadê você, eu vim aqui pra resolver”, gritavam os professores.

Saiba Mais: 

Professores de Simões Filho fazem manifestação contra Prefeito Eduardo Alencar