Quanto custa fazer o novo RG com 14 documentos?

Autor: Redação

Publicada em


Quanto custa fazer o novo RG com 14 documentos?
Quanto custa fazer o novo RG com 14 documentos?

Quanto custa fazer o novo RG com 14 documentos?

Quem for emitir o RG em alguns estados do país já vai receber a novidade: o documento mudou.

A principal mudança é que agora podem ser incluídos os números de vários outros documentos. Além do CPF e dos dados de NIS/PIS/PASEP, que já estavam presentes na versão anterior, é possível adicionar título de eleitor, carteira de trabalho, certificado de serviço militar, Carteira Nacional de Habilitação (CNH, cartão nacional de saúde, e documento de identidade profissional (carteira da Fenaj para jornalistas). Para isso, basta apresentar os originais no momento da solicitação e pedir sua inclusão. Quem quiser incluir seu nome social também poderá fazê-lo sem precisar mudar o registro civil.

A inclusão de informações adicionais no documento é facultativa, ou seja, cada cidadão pode optar por incluir os registros complementares que julgar necessários.

Não tem validade

O novo RG não tem validade, a não ser para brasileiros nascidos no exterior ou filhos de estrangeiros naturalizados, enquanto forem menores de 18 anos. Nesses casos, é preciso renovar o RG quando atingir a maioridade. Se a pessoa não puder assinar na hora de fazer o documento, o RG só valerá por 90 dias.

Os itens do novo RG

O que todos os novos RGs terão:

  • Assinatura
  • Fotografia 3×4
  • Registro de nascimento
  • Impressão digital do polegar direito do identificado
  • Identificação da unidade da Federação que a emitiu o documento
  • Órgão expedidor
  • Nome, a filiação e o local e a data de nascimento do identificado
  • Assinatura do dirigente do órgão expedidor
  • A expressão “Válida em todo o território nacional”

O que pode ser incluído:

  1. NIS (Número de Identificação Social)
  2. Número do PIS (Programa de Integração Social)
  3. Número PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público)
  4. Número do Cartão Nacional de Saúde, registro do SUS (Sistema Unificado de Saúde)
  5. Número do Título de Eleitor
  6. Número do documento de identidade profissional expedido por órgão ou entidade legalmente autorizado
  7. Registro da Carteira de Trabalho e Previdência Social
  8. Carteira Nacional de Habilitação
  9. Certificado Militar
  10. Tipo sanguíneo e fator Rh
  11. Condições específicas de saúde cuja divulgação possa contribuir para preservar a saúde ou salvar a vida do titular
  12. Nome social
  13. Documento de Identidade Profissional
  14. Fator RH

Para inclusão dos dados, é preciso comprovar as informações, apresentando os documentos originais que se deseja incluir no RG no ato da solicitação do novo documento. É importante ressaltar que os documentos no modelo antigo continuam valendo normalmente. A nova versão do RG atende a uma determinação do Governo Federal, por meio do Decreto 9.278 de 2018, para a implantação do Documento Nacional de Identidade (DNI).

Qual o valor para fazer o novo RG?

Nos estados em que a emissão já é realizada, o novo modelo de documento é direcionado a quem está tirando a carteira de identidade pela primeira vez ou está em busca de uma segunda via.

A maioria dos estados não cobram pela primeira via do documento. Já para tirar segunda via é cobrada uma taxa que varia de estado para estado.

O cidadão também pode optar pelo modelo de RG em formato em cartão construído em policarbonato, tamanho reduzido, chip para aproximação e durabilidade de até 10 anos, mas o custo é maior. Por exemplo, caso você more em Mato Grosso, o valor da taxa de emissão é R$ 99,53.

Onde fazer o novo RG

Esses são os estados onde o documentopode ser emitido:

  • Goiás
  • Mato Grosso
  • Acre
  • Maranhão
  • Ceará
  • Rio de Janeiro
  • Paraná
  • Rio Grande do Sul
  • Santa Catarina
  • Pernambuco
  • São Paulo
  • além do Distrito Federal.

Estados que o novo RG será implantando até março 2020:

  1. Alagoas (AL)
  2. Amapá (AP)
  3. Amazonas (AM)
  4. Bahia (BA)
  5. Espírito Santo (ES)
  6. Mato Grosso do Sul (MS)
  7. Minas Gerais (MG)
  8. Pará (PA)
  9. Paraíba (PB)
  10. Piauí (PI)
  11. Rio Grande do Norte (RN)
  12. Rondônia (RO)
  13. Roraima (RR)
  14. Sergipe (SE)
  15. Tocantins (TO)