Revoltante: Mulher morre enquanto esperava vaga de UTI durante 30 dias no Hospital de Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Reprodução

A aposentada Concileide Castro Farias, de 50 anos, morreu no inicio da tarde desta quarta-feira (12/9) enquanto aguardava na fila por uma vaga em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A espera durou mais de 30 dias, até que a mulher, mãe de quatro filhos, não resistiu. Esta é a quinta morte em menos de uma semana. “Sinceramente é muito revoltante, por causa de uma vaga em um leito de UTI, custar a vida de uma pessoa, isso é inaceitável. A gente trabalha, paga os impostos para ter uma saúde, mas olha o que a gente tem”, disse Elizeu Castro Farias, filho de Concileide.

Concileide é mais uma pessoa a morrer no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF) esperando por transferência, já que a unidade de saúde não possui estrutura para atender pacientes mais graves. Por conta disso, passam a depender da Central de Regulação do Governo do Estado da Bahia, que parece fechar os olhos para essa situação em Simões Filho.

A aposentada estava internada há mais de 30 dias no Hospital Municipal com suspeita de ter contraído um Câncer. Familiares disseram que um dos rins parou de funcionar e durante esse tempo, buscaram a todo custo conseguir a transferência de Concileide para outro hospital da capital baiana.

O sepultamento da aposentada vai acontecer nesta quinta-feira (13/9), no Cemitério São Miguel, em Simões Filho.

Falta de UTI

Vale lembrar que somente no último final de semana quatro pessoas morreram no Hospital Municipal de Simões Filho esperando por uma vaga de UTI. A morte de Concileide é o quinto caso em menos de uma semana.

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO