Saque do FGTS atrasa seguro-desemprego; governo promete solução

A liberação dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que tiveram valores de R$ 500 e de até de R$ 998 para os trabalhadores, atrasou a liberação do seguro-desemprego em todo o país. Agora o governo promete resolver o problema até a próxima quarta-feira (22).

De acordo com as informações divulgadas pelo Folha de São Paulo, a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia ainda não sabe o número exato de trabalhadores que tiveram o pedido negado.

Ainda segundo a secretaria, a falha afetou a todos os atendimentos sem causa justa pois, no momento do cruzamento de dados realizado para a liberação do seguro, a movimentação do FGTS faz com que o sistema interrompa o pagamento.

Os trabalhadores podem consultar o andamento da solicitação do seguro-desemprego através do site www.gov.br ou através do aplicativo da Carteira de Trabalho Digital.

Segundo o governo, os relatos das falhas começaram na segunda quinzena de dezembro.

O fato do pedido ter sido negado comprova a necessidade de apresentação de um recurso administrativo. Quem não apresentou este medida, não precisa mais solicitar, pois segundo o governo, a liberação acontecerá de forma automática.

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia que mensalmente recebe 520 mil pedidos do benefício, informou que todos os trabalhadores que tiveram dificuldade no acesso ao benefício terão os pedidos serão todos reprocessados e liberados até no máximo na próxima quarta-feira (22).

A Secretaria ainda reforça que, novos pedidos realizados na segunda-feira (20), passarão a ser liberados automaticamente.

Quando o trabalhador faz o pedido do seguro-desemprego, o sistema deveria informar o registro mais recente em seu extrato foi a demissão sem justa causa, que dá o direito ao benefício temporário, mas em alguns casos, devido o saque do FGTS o que estava aparecendo era a de retirada, o que o sistema entendia como pendência e desta forma barrava a liberação do seguro.

Veja mais