“Se Dinha não tomar uma posição, vamos parar Simões Filho”, diz sindicato dos Rodoviários

A declaração foi dada em entrevista ao Simões Filho Online.

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Com a alta da violência em Simões Filho, e as demissões de cobradores e motoristas que podem ser geradas pela integração dos ônibus com o metrô, os rodoviários ameaçam paralisar atividades no município que tem a 6ª economia da Bahia.

Em entrevista exclusiva ao portal Simões Filho Online, o presidente do Sindicato dos Rodoviários (Sindroc), Daniel Ferreira, cobrou do Prefeito Dinha Tolentino (PMDB), e do Governador Rui Costa (PT), ações enérgicas para resolver o problema no município.

“O prefeito que entrou agora tem que tomar uma atitude, uma posição em relação a segurança. Quando eu falo segurança – é para os cobradores, motoristas e todos os passageiros. Os bandidos, os vagabundos estão queimando os ônibus e qualquer hora dessas podem queimar veículos com pessoas dentro – passageiros ou funcionários. Se o prefeito de Simões Filho e o Governador não tomar uma providencia vamos paralisar as atividades”, disse ao Simões Filho Online.

“Se ele (Dinha) não tomar uma atitude vai chegar ao ponto de o sindicato tomar uma posição. Se não tomar uma providência junto com o Governador do Estado, nós vamos parar Simões Filho”, completou.

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO

Pauta de muitos anos dos rodoviários, a falta de segurança nos coletivos também é reconhecida como um problema cada vez mais comum pelos passageiros. “É um problema que se arrasta há anos e parece que não há solução. Nós passageiros, sofremos diariamente, principalmente com os assaltos”, comentou a usuária Jamile, que se desloca diariamente para capital.

O Sindicato ainda não definiu uma data para deflagar a greve, que poderá ocorrer nos próximos dias.