Sem estrutura no Hospital de Simões Filho, quatro pacientes morrem aguardando a Regulação em 24 horas

.

Autor: Redação

Publicada em


Créditos da Foto: Simões Filho Online
Foto: Simões Filho Online

Procurar atendimento no Sistema Público de Saúde em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), é  um martírio. A falta de atenção básica, demora em conseguir consulta, exames e horas e horas de espera resultaram em casos extremos.

A situação fica ainda mais complicada, quando os pacientes passam a depender da Central de Regulação do Estado. Eles acabam sofrendo com à espera por vagas na rede pública de saúde de Salvador, exatamente pela falta de estrutura nas unidades de saúde do município, principalmente, no Hospital Municipal de Simões Filho e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os problemas somam-se ainda ao déficit de profissionais e a falta de medicamentos. O drama é tanto que pessoas chegam a morrer, sem a chance de um tratamento mais avançado.

Entre este domingo (9/9) e a manhã desta segunda-feira (10/9), pelo menos quatro pessoas morreram à espera de regulação. Todas estavam internadas no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF).

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO