Senado analisa suspensão de prestação do Minha Casa, Minha Vida na pandemia

Foto: MDR

O Senado deve avaliar proposta que suspende os pagamentos mensais de beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida por 180 dias em razão das dificuldades financeiras ocasionadas pela pandemia de covid-19. O Projeto de Lei 795/2020 foi aprovado pelo Plenário da Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (20) na forma do substitutivo do relator, deputado Gutemberg Reis (MDB-RJ).

>Senado analisa projeto que obriga planos de saúde a cobrir testes do coronavírus

De acordo com o projeto, a suspensão dos pagamentos vale para os mutuários da faixa 1, com renda familiar mensal de até R$ 1,8 mil, cujo financiamento usou recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) ou do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS). A suspensão de seis meses começaria a contar a partir da publicação da futura lei.

>Senado aprova novas regras para receber Auxílio Emergencial de R$600 com novas categorias

Essas parcelas seriam pagas depois do prazo final do financiamento original. O total de parcelas do programa que vão ser adiadas, cujo custo seria suportado pelo Tesouro Nacional, será limitado a R$ 215,4 milhões.

>Senado confirma proposta de salário extra para aposentados e pensionistas do INSS

Quanto aos participantes do Minha Casa, Minha Vida com operações enquadradas no Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), o projeto adia para dezembro de 2020 a parcela anual devida pelas famílias beneficiárias.

O que é Minha Casa Minha Vida

É uma iniciativa do Governo Federal que oferece condições atrativas para o financiamento de moradias nas áreas urbanas para famílias com renda familiar bruta de até R$ 7.000,00 por mês. Em parceria com estados, municípios, empresas e entidades sem fins lucrativos, o programa vem mudando a vida de milhares de famílias brasileiras. É oportunidade para quem precisa, bem como promove desenvolvimento para o Brasil.

Com Agência Senado

 

Veja mais