Agora é de graça: Serasa lança consulta gratuita do CPF pela internet

Autor: *Com informações da assessoria de comunicação.

Publicada em


A existência de uma prestação comercial não paga ou o atraso no pagamento de contas diversas pode ocasionar a inclusão do nome do inadimplente no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e no Serasa, o que criará muitas dificuldades para novas compras no comércio e realização de novos negócios.

Para ajudar a quem desejar limpar o nome uma nova ferramenta foi lançada pelo Serasa. O famoso “nome sujo” poderá ser verificado pela internet, sem necessidade de visita presencial. A nova ferramenta já está disponível pela companhia.

O lançamento da nova ferramenta aconteceu nessa terça-feira (12). O novo canal oferecido pela Serasa irá permitir ao consumidor, além de verificar a existência de pendências financeiros, poder negociar dívidas atrasadas diretamente com o credor. O acesso também poderá ser feito via aplicativo de celular. O novo serviço gratuito permite ao consumidor consultar, pela internet, se há alguma pendência financeira registrada em seu CPF.

O cidadão terá ainda informações sobre os credores, como telefones, endereço, e-mail e site, assim como o valor atual e a data de vencimento do débito atrasado. Poderá renegociar a dívida diretamente, sem intermediários, caso a empresa seja parceira do serviço gratuito da Serasa, o Limpa Nome Online. A auto consulta completa pode ser feita a qualquer momento, gratuitamente, mesmo que o devedor não tenha uma carta-comunicado de débito.

O cidadão deve entrar no site e preencher um cadastro ou inserir um e-mail e senha, caso já seja registrado. O acesso também pode ser feito via aplicativo de celular disponível para Android e, em breve, iOS. Para garantir que somente o próprio consumidor tenha acesso às suas informações na Serasa, após o cadastro, será necessário passar por um processo de autenticação. Um dos passos é inserir o número do celular e confirmar na página da consulta um código de validação recebido via SMS. Esta validação só será necessária no primeiro acesso.

Para a diretora do Serasa Consumidor, Fernanda Monnerat, a novidade traz a oportunidade de o cidadão consultar e regularizar suas pendências financeiras em um único ambiente digital, com toda comodidade e segurança. “ Esta é mais uma facilidade que colocamos à disposição dos brasileiros para que eles tenham acesso a serviços que possibilitem, acima de tudo, a construção de uma relação mais sustentável com o crédito e o resgate da sua cidadania financeira. Dessa maneira, reafirmamos mais uma vez o compromisso da Serasa com o consumidor”, diz.

Entre outros serviços gratuitos encontrados no site do Serasa Consumidor, é possível fazer a abertura do Cadastro Positivo, que reúne informações sobre o histórico de pagamento do cidadão para que seja possível medir a pontualidade de quitação das parcelas vencidas e avaliar o risco de superendividamento.

Também é possível fazer o alerta de documentos (Registro Geral, RG; carteira de trabalho; CPF; carteira de habilitação e título de eleitor) e cheques roubados. O registro gratuito na Serasa ajuda a reduzir o risco de fraudes e evitar a dor de cabeça de ter dados pessoais utilizados por golpistas.

VEJA AS VAGAS DE EMPREGOS PARA HOJE

Essas ações visam também a estreitar o relacionamento direto da Serasa Experian com o consumidor. A melhoria dessa gestão compreende avanços na educação financeira com a qual o Serasa Consumidor está comprometido, para que o cidadão possa desfrutar do crédito, consumindo ou empreendendo sem incorrer na inadimplência ou no superendividamento.

No segundo semestre de 2016, será lançada também uma ferramenta que irá permitir aos Procons de todo o Brasil que efetuem consultas à Serasa nas audiências e nos atendimentos feitos junto ao consumidor.

Como consultar

No site www.serasaconsumidor.com.br ou no aplicativo “Serasa Consumidor”, ele pode checar se está negativado e qual o débito pendente que o levou à inadimplência (banco, cartão de crédito, financeira, varejo, prestadoras de serviços de telefonia, energia elétrica, água, além de ocorrências de títulos protestados, cheques sem fundos e ações judiciais).

*Com informações da assessoria de comunicação.