Sesab e SMS não confirmam morte cerebral de paciente internado em Simões Filho; protocolo é de no mínimo 48 horas

Protocolo é de no mínimo 48 horas. Família vive um novo drama.

Autor: Redação

Publicada em


Os familiares do paciente Edson Santos Barbosa, de 63 anos, internado em estado grave no Hospital Municipal de Simões Filho passam a viver um novo drama. De acordo com a família, a equipe médica da ambulância que faria a transferência do paciente para uma UTI na noite de ontem (26/11) constatou que o idoso teve morte cerebral. No entanto, as Secretarias de Saúde do estado e do município, não confirmam a informação.

Em nota enviada ao SIMÕES FILHO ONLINE no fim da manhã desta terça-feira (27/11), a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) declarou que “não confirma a informação”, pois o órgão, “cumprindo determinação do Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Ministério Público, não fornece o estado de saúde e informações de pacientes internados na rede de assistência estadual”.

Ainda em nota, a Sesab informa que “essa medida, que resguarda o paciente e equipe profissional, tem amparo no Código de Ética Médica, Capítulo IX, Artigo 75, em que é vedado “fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos em anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos médicos, em meios de comunicação em geral, mesmo com autorização do paciente”.

Já a secretária de Saúde do Município (SMS), Dr. Betânia Lessa declarou que, “de fato uma ambulância esteve na unidade de saúde na noite de ontem para fazer a transferência do paciente, mas como ele apresentava quadro clínico muito estável, não suportaria o transporte” e por isso permaneceu no hospital.

Também de acordo com a secretária, “para que haja uma confirmação de que um paciente teve morte cerebral, é necessário um protocolo de no mínimo 48 horas, o que não ocorreu na situação do paciente Edson”.

O sofrimento do paciente e da família – morte cerebral

O paciente Edson Santos Barbosa, de 63 anos está internado desde o dia 17/11 no Hospital Municipal de Simões Filho, após sofrer uma queda em casa, bater com a cabeça no chão e ser socorrido por uma equipe do Atendimento Médico de Urgência (SAMU) para a unidade de saúde.

Depois de mais de uma semana aguardando pela regulação para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a família do paciente conseguiu, na tarde do último domingo (25) uma determinação judicial para que Edson fosse transferido em um prazo máximo de 24 horas.

No fim da noite desta segunda-feira (27/11), uma ambulância equipada com equipe especializada em UTI esteve no Hospital Municipal pra fazer a transferência. No entanto, segundo os familiares, o médico responsável declarou que o idoso estava sem atividade cefálica, caracterizando morte cerebral e por isso permaneceria internado na mesma unidade de saúde, respirando com a ajuda de aparelhos.

SAIBA MAIS: Família diz que paciente internado em estado grave no Hospital de Simões Filho teve morte cerebral