Simões Filho: Antes de ser morto, “Binho do Quilombo” estava a caminho do enterro de mãe Bina

Autor: Débora Souza

Publicada em


A caminho de um sepultamento em um Cemitério de Salvador, o líder Quilombola Flavio Gabriel Pacifico dos Santos, 36 anos,  o “Binho do Quilombo”, morreu com pelo menos 10 tiros dentro do seu carro em frente a Escola Municipal Nova Esperança, em Pitanga de Palmares, em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador (RMS), na manhã desta terça-feira (19/9). O líder foi atingido em várias partes do corpo. Ele havia acabado de deixa o seu filho na unidade de ensino, em seguida, seguiria para o enterro de uma amiga.

Cerca de 14 horas antes de ser executado, em seu perfil do Facebook, Binho publicou uma imagem de luto pela morte de Mãe Bina, onde destacou seu respeito por ela e se despediu. “Sinto um grande orgulho de ter conhecido uma pessoa como Mãe Pina que lutou pela igualdade e respeito. Hoje, Simões Filho perde uma grande guerreira”, escreveu.

Repercussão

Diversos amigos usaram as redes sociais para lamentar a morte do líder Quilombola. Dor, angústia, tristeza, e muitas saudades. Esses entre tantos outros sentimentos são expressados agora por pessoas que conheciam Gabriel Silva. Essas recorrem às redes sociais para fazerem suas emocionadas despedidas do tão querido Binho. “Bernadete é uma mulher guerreira e de coragem. Isso para ela foi como arrancar o coração”, expressou um amigo.

A médica Dra. Denise Damasceno também lamentou a morte do amigo. “Adeus, meu amigo Binho. Bernadete (mãe), estou com o coração dolorido”, publicou.

Binho fez muitos amigos também na carreira política, com pessoas filiadas a partidos como é o exemplo da sua amizade com Ailton Costa, filiado ao PT de Simões Filho, que lamentou profundamente sua morte.

Estou sem chão! Binho era uma grande criatura, uma pessoa boa, que pensava muito na sua comunidade. Ele vai fazer muita falta – um ser humano da melhor qualidade – eu tive um prazer muito grande em te-lo conhecido e ter tido como companheiro de militância política. Que Deus o receba com muita luz, pois ele foi um homem bom aqui na terra”, lamentou Ailton.

Sobre Binho
Líder nato, morador do distrito de Pitanga de Palmares, Flavio Gabriel Pacifico dos Santos, o Binho do Quilombo, era filho da senhora Maria Bernadete Pacífico, ex-secretária da Promoção da Igualdade Racial do município e grande militante na luta pela valorização das comunidades quilombolas. O trabalho que ele realizava era voltado por melhorias para sua comunidade.

O Líder Cidadão se destacou pela forma de participação que implementava na comunidade. Em geral, buscava sempre criar um nível de consciência crítica junto à população, para que ela cobrisse seus direitos, feito de forma coletiva, vendo os problemas, analisando e agindo, Binho sempre buscava alternativas de soluções. Sempre participava, apoiava, contestava a maioria dos assuntos relacionados ao seu bairro e cidade, mesmo sem ter cargo ou função alguma.

Binho concorreu às eleições de 2012 e 2016 como candidato a vereador, neste último, teve 453 votos. Ele também era cantor do tradicional samba de viola e era um apaixonado por futebol.

O crime

“Binho do Quilombo” foi morto com pelo menos 10 tiros. De acordo com informações preliminares, o crime aconteceu por volta das 9h em frente a uma escola em Pitanga de Palmares. Homens não identificados a bordo de um veiculo branco chegaram e dispararam várias vezes contra a vítima. O líder Quilombola estava dentro do seu carro a caminho do enterro e não houve chances de reação.

Investigação

A polícia civil já registrou a ocorrência, e os investigadores já começaram a coletar as primeiras informações do caso. Até o momento, ninguém foi preso.

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO