Em Simões Filho, após 15 dias internada, mulher morre no hospital

"Eu estou triste e chocado - já fui na defensoria - já fui na assistência social, só faltou eu ir ao inferno", diz marido

Autor: Redação

Publicada em


A dona de casa Joselita Magalhães de Jesus, de 58 anos, morreu ontem, quinta-feira (06), no Hospital Municipal de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. A paciente deu entrada no Hospital no dia 20 de maio de 2015. Na oportunidade foi feito um diagnóstico onde apresentou os sintomas de rebaixamento do nível de consciência e histórico de AVC (Acidente Vascular Cerebral).

O Sr. Djalma Pereira Santos, o marido de Joselita, moradora da Avenida Paulo Souto, denunciou no último sábado 30 de maio ao Simões Filho Online, o descaso no tratamento médico da paciente no hospital da cidade. De acordo com o Pedreiro Djalma Pereira Santos, o hospital só dava Soro, Diazepan e Dipirona, pois, para ela receber o tratamento e outros tipos de medicamentos era necessário realizar uma Tomografia Computadorizada e Avaliação Neurológica. Sem suporte no hospital do município, a paciente teve que aguardar a regulação do estado para ser transferida para Salvador, fato que não veio a tempo de evitar a morte da simõesfilhense que ficou internada 15 dias na unidade.

“Eu estou triste e chocado – já fui à defensoria – já fui à assistência social, só faltou eu ir ao inferno”, diz marido de Joselita enquanto ela estava internada no hospital.

Ainda de acordo com seu Djalma, os filhos queriam fazer o exame particular para poder acelerar o tratamento, mas os médicos não autorizavam a saída de Joselita. Veja a denuncia do Marido da paciente enquanto a mesma ainda estava com vida.

Na oportunidade, o Simões Filho Online, havia entrado em contato com Hospital Municipal de Simões Filho que divulgou nota sobre o caso. Segundo o comunicado da instituição, “Após Exame Clínico, foi solicitado vaga à Central do Estado para realização de Tomografia Computadorizada e Avaliação Neurológica. O Setor de Regulação do Hospital Municipal aguardava a liberação da vaga pela Central do Estado (órgão que autoriza a transferência do paciente ao identificar a vaga no Hospital de Referência).” e “Sobre a sinalização de tratamento não adequado à paciente, pelo esposo, Sr. Djalma Pereira Santos, enquanto a mesma aguardava a vaga para realização do Exame e Avaliação solicitada; a Administração da Unidade informa que Joselita Magalhães, encontrava-se recebendo Assistência e Tratamento adequado de toda Equipe do Hospital: Médicos, Equipe de Enfermagem, Nutricionistas, Assistentes Sociais e demais colaboradores, empenharam-se diariamente em cuidados à paciente”. Diz a nota do Hospital no último dia 30 de maio. Veja nota do Hospital na Integra

Joselita Magalhães de Jesus, de 58 anos, foi sepultada no cemitério São Miguel em Simões Filho na tarde desta quinta-feira (04).

Na manhã desta sexta-feira (05), o Simões Filho Online voltou a entrar em contato com administração do hospital, que disse lamentar profundamente a morte da paciente e informou que dentro das reais possibilidades fez tudo para salvar a vida de Dona Joselita.

Ainda segundo a administração do Hospital, a Equipe de Saúde monitorou e acompanhou toda a evolução do quadro. Intervindo em todos os momentos. A paciente já estava no leito de estabilização, monitorada por aparelhos e pedido de vaga em UTI. A administração também informou que o Hospital enviou  Ofício ao Ministério Público,  pedindo intervenção junto a Central do Estado.