Simões Filho: Conheça a história de superação de um jovem que teve o pé esmagado em uma máquina e se tornou exemplo

Superação. Apenas com uma palavra é possível resumir essa história

Autor: Redação

Publicada em


Uma verdadeira história de superação. O jovem metalúrgico Diego Ramos, de 29 anos, morador de Simões Filho, na região Metropolitana de Salvador (RMS), sofreu um acidente no dia 27 de abril de 2015 na empresa que trabalha. Na ocasião, Diego estava tirando férias de um colega, em uma máquina chamada calandra (máquina que emborca/vira chapas de ferro), quando de repente, ela ligou sozinha e o pé esquerdo do metalúrgico acabou sendo esmagado por ela.

“Precisei ficar hospitalizado por 23 dias, para tratar a lesão que desenluvou toda a pele do meu pé. Depois de diversos dias tentando salvar a parte do pé atingida, os médicos me deram a notícia de que eu precisaria amputar a parte necrosada, para não perder o pé por completo. Então, amputei metade do pé”, conta Diego.

De lá pra cá, Diego fez cirurgias de enxerto e até hoje, três anos depois, faz fisioterapia na APAE Salvador para recuperação. Após a cicatrização do coto, ele foi encaminhado para um fisiatra, o qual indicou o uso de prótese. Foi aí que o metalúrgico começou a se reabilitar.

“Foi quando encontrei um grande amigo aqui da cidade, Jairo Mascarenhas, que pedala no grupo Simões Filho Bike Clube. Passei a pedalar com o grupo todas as manhãs e a cada dia venho superando as minhas limitações”, disse Diego.

“Depois desse acidente, as dificuldades para caminhar foram notáveis. Por causa do peso do meu corpo, ao andar, sinto dores que chegam a machucar meu pé todas as vezes que tento fazer caminhadas mais longas. Devido a dificuldade de sair de casa, alinhado a necessidade de fazer exercícios físicos, comprei uma bicicleta. Aí o ciclismo começou a entrar na minha vida. Passei a ter mais amor por esse esporte que vem mudando a minha vida a cada dia. Diminuir o meu peso, passei a sentir menos dores e minha auto estima foi se elevando”, explica.

Diego conta que resolveu contar a sua história para que ela possa servir de inspiração para as pessoas que se encontram na mesma situação. Para ele, o mais importante é ter fé em Deus, se amar e acreditar que tudo vai dar certo. O metalúrgico pontua que hoje convive com esse problema com muita naturalidade e a certeza de que estará a cada dia superando os seus limites.

“Agradeço a Deus por tudo que Ele tem feito em minha vida. Eu sou uma das provas de que Deus existe, pois me livrou da morte e hoje eu estou aqui pra honra e glória Dele. Tudo que faço é para glória do nome Dele”, pontuou.

 

Para finalizar, o jovem fez agradecimentos ao apoio recebido durante os dias difíceis que passou em sua vida.

“Fiz curativos diários em casa com a enfermeira Tatiane Dantas, que faz um trabalho com muito amor e dedicação. Logo minha lesão veio a cicatrizar, por isso, agradeço a ela por cuidar muito de mim. E também veio o apoio da minha família. Minha mãe, Zélia dos Santos, cabeleireira, minha noiva e futura esposa, Carine Oliveira e aos meus amigos, que me ajudaram muito me motivando para não desistir de ser uma pessoa mais feliz, independente das minhas dificuldades”, concluiu.

Veja mais fotos de Diego em seu Instagram. Clique aqui