Simões Filho: Creche funciona em situação precária sem papel higiênico para as crianças; “Para onde está indo o dinheiro”

Autor: Redação

Publicada em


Diversas crianças estudam em quartos improvisados, com situação precária, na Creche Municipal Retrato de Pureza, no Bairro Ponto Parada, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A queixa da comunidade ganha contornos ainda mais graves, a creche está sem material de limpeza e funciona com um banheiro sendo utilizado pelas crianças e adultos ao mesmo tempo. Além disso, falta papel higiênico e a geladeira esta quebrada desde o início do ano, segundo revela as mães dos alunos. Há ainda segundo relatos, as crianças disputam o espaço de ensino com ratos, devido as condições precárias da unidade de ensino. A Creche Retrato de Pureza tem cerca de quatro turmas, que segundo pais de alunos, funcionam em quartos pequenos com pouca ventilação.

Veja o desabafo de uma das mães

“A escola na verdade é uma casa onde a sala de aula são quartos com pouca ou nenhuma ventilação. Não existe papel higiênico desde o início das aulas, inclusive, o material de limpeza fornecido pela prefeitura é tão pouco quê os próprios funcionários levam de casa. O banheiro tem um vaso sanitário sendo utilizado pelas crianças com a idade de três a seis anos onde os próprios funcionários utilizam o mesmo sanitário. O banheiro que deveria ser utilizado pelos adultos está sendo utilizado como depósito de material. As carteiras são antigas e velhas onde estão desgastadas e crianças já se machucaram nestas carteiras. Não existe área de lazer, as crianças ficam presas dentro da sala de aula. A sala de aula que é um quarto encontra-se superlotada onde existe 22 crianças dentro de um quarto. Existe queda de energia com frequência devido ter instalado alguns ventiladores, ou seja, não está suportando a quantidade de equipamento ligado ao mesmo tempo e aí vem o risco de incêndio e não existe material nenhum de combate a incêndio. Existe risco de queda de altura e eles colocaram uma cortina para disfarçar. Antes a desculpa era a empresa que estava para vencer a licitação para fornecimento do material de limpeza e agora que empresa venceu por qual motivo não se está fornecendo o papel higiênico, o sabão de lavar prato, o sabão de lavar as mãos, água sanitária? O prefeito está ciente. Eu mesma falei com ele. Nem mesmo a farda foi fornecida conforme manda a legislação para todos os alunos. Pretendo protocolar e registrar essas fotos no ministério público para que haja uma investigação e ao menos, consigam descobrir para onde está indo o dinheiro do município”, disse Sinara Santos, de 25 anos, ela tem um filho de 4 anos que estuda na unidade de ensino e resolveu revelar a situação para a redação do SIMÕES FILHO ONLINE.