Simões Filho fica para trás no Programa Minha Casa, Minha Vida

.

Autor: Redação

Publicada em


Sem progresso: Enquanto o Minha Casa Minha Vida cresce em outras cidades, em Simões Filho o programa ficou para trás.

O Minha Casa Minha Vida (MCMV) é o maior Programa Habitacional da história do Brasil. Isso porque é um dos poucos programas que faz o financiamento de moradia popular, usando parcerias entre Governo Federal e Prefeituras.

Em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), já foram entregues 6.930 apartamentos durante a administração do ex-prefeito Eduardo Alencar (PSD), divididos em 12 conjuntos habitacionais construídos entre os anos de 2010 e 2016. A cidade metropolitana figurou entre os municípios brasileiros que mais entregaram apartamentos do MCMV.

As quase 7 mil moradias fazem parte da faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida e foram entregues pelo governo federal a pessoas com renda inferior a R$ 1,8 mil. No entanto, o déficit de moradias ainda é crescente na cidade e a prova disso são inúmeras reclamações diárias de pessoas que se inscreveram no programa e não foram contempladas.

Apesar de fazer parte da mesma base política do então presidente Michel Temer, a atual gestão municipal em Simões Filho não conseguiu trazer mais nenhum empreendimento popular para o município. Desde que assumiu a prefeitura em 2017, o prefeito Dinha Tolentino (MDB) não conseguiu cumprir a promessa de entregar novas moradias aos simõesfilhenses.

Em dois anos, o máximo que a Secretaria de Habitação, comandada por João Contador conseguiu foi o projeto de implantação de um mega Conjunto Habitacional, destinado às famílias com renda entre R$ 1.800,00 a R$ 6.000,00 que até o momento não saiu do papel.

Enquanto o MCMV continua crescendo no país proporcionando a realização do sonho da casa própria para quem realmente precisa, em Simões Filho os empreendimentos já entregues estão sendo, em sua maioria negociados por famílias que foram contempladas e não utilizam os apartamentos.