Simões Filho: Garoto 3 anos pena para fazer um exame e não consegue medicamentos na Secretaria Municipal de Saúde

Saúde do município está em caos. População está sofrendo

Autor: Redação

Publicada em


Os medicamentos que o município não fornece, custam em média R$ 600,00. Foto: reprodução TV Bahia

Uma criança de apenas 03 anos de idade vive o drama de quem depende da saúde pública em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A família sofre com a falta de medicamentos e a dificuldade para marca consultas e exames.

Foto: reprodução TV Bahia

O pequeno Ryan Silva sofre de epilepsia, uma doença grave que causa fortes dores de cabeça e crises convulsivas.

A primeira crise do garoto aconteceu quando ele tinha apenas um ano de idade. De lá para cá a família sofre para manter o tratamento de Ryan, na tentativa de amenizar as crises e proporcionar mais qualidade de vida ao menino.

De acordo com a dona de casa Viviane da Silva, a família foi pega de surpresa quando o filho apresentou o ataque epilético pela primeira vez. Ainda segundo Viviane, o menino chegou a ficar por 6 meses internado no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), mas desde então, não tem recebido do município o apoio necessário para o tratamento do garoto.

Os medicamentos de uso contínuo de Ryan são de alto custo e não está sendo oferecido pela Secretaria de Saúde de Simões Filho. Com o pai desempregado e a mãe ajudando a manter a família apenas com a renda de vendedora ambulante, a família tem enfrentado dificuldades para comprar os remédios, que custam em média R$ 600,00.

Como se não bastasse a dificuldade em adquirir as medicações, desde o ano passado o menino começou a apresentar sintomas mais graves, como paralisia facial e espasmos. Por causa disso, a médica que acompanha o caso solicitou uma ressonância magnética, mas, há sete meses a criança espera para fazer o exame, sem previsão.

“Eu vivo minha vida já assustada. É um desespero que, enquanto eu não fizer esse exame e não descobri o que meu filho tem, eu não vou ter paz. Enquanto a médica não me disser que meu filho está bem eu não vou ter paz, eu não vou ter sossego, eu não vou viver bem”, revelou Viviane.

Foto: reprodução TV Bahia

O caso de Ryan ganhou repercussão em um noticiário transmitido pela TV Bahia, afiliada da Rede Globo, na manhã desta segunda-feira (25/02). Procurada pela emissora, a Secretaria de Saúde de Simões Filho informou que o exame do garoto está marcado para o dia 21 de abril, no Hospital Geral do Estado (HGE). Ou seja, o garoto ainda terá que esperar mais dois meses.

Ainda conforme a emissora de televisão, a pasta informou que os medicamentos do garoto não estão disponíveis na rede pública, mas que irá reavaliar o caso para verificar a possibilidade de disponibilizá-los.