Internada a 10 dias, mulher está morrendo no Hospital de Simões Filho, diz marido

"O hospital só dá Soro, Diazepam, e Dipirona. Se não tomarmos providências ela vai morrer"

Autor: Redação

Publicada em


O marido de uma mulher de 55 anos, moradora da Avenida Paulo Souto, denunciou neste sábado (30), o descaso no tratamento da paciente no Hospital Municipal Eduardo Alencar, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. De acordo com o Pedreiro Djalma Pereira Santos, o atendimento recebido não está sendo adequado e a sua esposa corre risco de morrer – ela precisa de transferência e aguarda regulação. Joselita dos Santos de Jesus está há 10 dias internada na unidade e cada dia a situação se agrava mais.

  • Empresa abre 100 vagas para Auxiliar de Produção na Região Metropolitana

“O hospital só dá Soro, Diazepan e Dipirona. Se não tomarmos providências ela vai morrer. Nos não temos uma saúde que presta – eu tive paciência até demais – somos seres humano gente. A cada dia minha esposa piora – ela chegou ao hospital consciente, agora, não reconheci mais os filhos, está inchada e delirando. Ela não tem mais o controle das funções fisiológicas como defecar e urinar e está penando no hospital”. Desabafou seu Djalma, esposo da paciente.

O esposo de Joselita informou que ela deu entrada na unidade no dia 19 maio com suspeita de principio de AVC, recebeu atendimento e foi direto para um balão de oxigênio. Os médicos disseram que ela precisa fazer uma Ressonância Magnética e uma Tomografia na cabeça e até então, não tem previsão de vaga para realização do exame.

Revoltado, seu Djalma disse ainda, que o hospital de Simões Filho não realiza exames como Tomografia e Ressonância Magnética e sua esposa precisa de transferência para Salvador, mas continua em Simões Filho aguardando a regulação.

Ainda de acordo com seu Djalma, os filhos querem fazer o exame particular para poder acelerar o tratamento, mas os médicos não autorizam.

— Ela esta há 11 dias internada aguardando regulação, eu não sei mais o que fazer, é um verdadeiro descaso. Eles não fazem a transferência e não deixa a família transferir por conta própria. Eu quero tirar minha mulher daquele hospital.

O Simões Filho Online entrou em contato com Hospital Municipal de Simões Filho e segundo assistente Social, Antonia, todas as providências estão sendo tomadas e a paciente aguarda a resposta da central de regulação para fazer a transferência e realizar os exames. Ainda não há previsão de transferência para Hospital Roberto Santos na capital baiana. Veja a nota do hospital sobre o caso, clique aqui

O Simões Filho Online tentou entrar em contato com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), mas não teve nenhuma resposta sobre o caso.

Até o fechamento desta matéria, Joselita permanece internada no Hospital de Simões Filho aguardando Regulação.