Simões Filho: Médica denuncia falta de remédios no Município

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


A Médica Dra. Denise Damasceno, por meio da rede social Whastapp, denunciou a falta de medicamentos para tratamento de pacientes com Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST/AIDS, nos postos de saúde de Simões Filho, cidade localizada na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A situação de calamidade ganhou repercussão nesta segunda-feira (14/8), quando a médica resolveu denunciar o caso para evitar que vidas sejam perdidas.

“Não tenho Azitromicina, não tenho o metronidazol que tinha semana passada. Foi tanto caso de Tricomoníase e Gardnerella que acabou o metronidazol, o creme vaginal metronidazol gel acabou, não tinha miconazol e o pouco de nistatina que tinha acabou”, denunciou a médica.

Ouça o áudio completo da Médica:

Em resposta a denuncia de Dr. Denise, Rafael Miranda, responsável pelo Programa DST/AIDS em Simões Filho, subiu o tom e divulgou um esclarecimento nas redes sociais. Veja abaixo o que Rafael publicou:

“Dra. Denise não irei baixar o nível do seu vocabulário, pois só podemos dar o que temos e não posso exigir da senhora Educação pois é algo de berço e independente de formação acadêmica. Vou repetir mas uma vez pra senhora ou se precisar desenho, o Programa DST/AIDS é norteador da Política, damos suporte e atendemos os casos mas graves que vocês na Atenção Básica não dão conta. Sobre a questão camisinhas vou repetir de novo o Ministério da Saúde repassa para o Estado e eles repassam para o município. O Estado sinalizou que iria atrasar o repasse de camisinhas e também de medicamentos de HIV/AIDS, pois o Ministério da Saúde atrasou no repasse. Mas em parceria com a Atenção Básica, nós do Programa DST AIDS damos uma quantidade do nosso quantitativo para que os postos não ficassem sem estoque para ofertar a comunidade. Lógico que sei que as DSTs na sua maioria são super tratáveis em postos de saúde aonde tenha enfermeiras capacitadas para Abordagem Sindromica e Médico Clínico, pois existe protocolo para tratamento de DST. Sobre a aplicação da Penicilina( Bezotacil), o município tem quantitativo e envia para os postos e em caso de falta são encaminhados para o Centro de Referência lá no Anexo, pois não ficamos sem Bezotacil. Eu fico as vezes tentando entender a senhora pois se ofertamos caixa de Camisinhas para os agentes de saúde levarem para suas áreas e a senhora dizer que no seu Posto não tenha Camisinha. Gostaria de saber qual dia a senhora está no Posto que faço questão de levar as camisinhas e a senhora presenciasse. Dra. Denise peço que baixe a guarda e vamos fazer parcerias, fazer Rede, fazer SUS”, disse Rafael.

O Simões Filho Online entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Simões Filho, mas até a publicação desta matéria, não se manifestou sobre a denuncia.

DSTs

As DSTs mais conhecidas são gonorreia, sífiles, herpes, lamídia, tricomoníase, micoplasma, ureoplasma, mas há muitas outras. Apesar de também serem doenças silenciosas, ou seja, assintomáticas, você pode facilmente identificar algumas doenças sexualmente transmissíveis. Podem surgir na região genital bolhas e coceira, corrimento anormal e com mau cheiro, manchas, ardência ao urinar e dores durante o ato sexual. No caso da Aids, normalmente ela é assintomática, por isso apenas um exame de sangue pode identificar. Para todas as doenças listadas acima, um exame sanguíneo é o ideal, mas pode ser necessária a analise dos fluidos trocados.