Simões Filho: O desabafo de quem perdeu pai, mãe e irmão no Hospital Municipal: “Culpo o prefeito, o estado, e os vereadores”; veja vídeo

"O hospital está entregue as moscas e as baratas"

Autor: Redação

Publicada em



SERIE: “Saúde que eu tenho, saúde que eu quero em Simões Filho”


Foto: Simões Filho Online

A dor tríplice de Jociane. Perdeu o pai, a mãe, e na noite desta sexta-feira (18/8), o irmão. Todos vítimas do descaso com a saúde pública no mesmo hospital, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). [Veja vídeo completo no final da matéria]

“Já é a terceira vítima de minha família no hospital. O hospital não tem suporte digno para atender a população de Simões Filho. Ontem foram cinco pessoas que morreram lá. Até quando vai continuar assim Prefeito Dinha?”, questiona.

Muito abalada, Jociane Santana da Silva, de 32 anos, não escondeu a revolta neste sábado (18/8), após receber a notícia da morte do irmão, o pedreiro Joílson Santana da Silva, de 42 anos. Joílson morreu no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), após aguardar por quase sete dias a transferência para uma UTI, já que o hospital da cidade não possui estrutura para atender casos como o dele.

“Vocês estão fazendo o que na prefeitura? Se não tem capacidade para trazer melhorias ao hospital, peça para sair. Eu estou indignada”, disse.

Para Jociane, os dias em que acompanhou o irmão em sua luta pela vida foram de angustia e sofrimento, compartilhado por outras famílias que estavam na mesma situação, no hospital da cidade.

Além da notícia trágica, o que chocou Jociane foi a forma como os políticos da cidade tratam o assunto.

“Eu culpo o prefeito, o estado, e os vereadores. O hospital está entregue as moscas e as baratas”, desabafa dona Jociane.

Foto: Simões Filho Online

Apesar da angustia e do sofrimento que enfrentou, Jociane ressalta o empenho dos poucos funcionários da unidade, que se desdobram para atender o grande número de pacientes em estado grave. Diz que o número é muito abaixo do necessário, principalmente nos períodos noturnos. O resultado é o número de pessoas que morrem na unidade de saúde.

A família ainda não acredita na perda e Jociane diz que tem convicção que se o irmão tivesse estrutura adequado ao ingressar na unidade, poderia ter sobrevivido. Os próprios médicos do hospital que atenderam Joílson disse isso aos familiares.

VEJA VÍDEO COM O DEABAFO:

*Matéria original publicada 18 de agosto de 2018, às 18:13