Simões Filho: Vereadores reclamam da inoperância da empresa Jotagê; “Cabe a nós cobrar do Executivo”

.

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Reprodução CMSF

A limpeza urbana do município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) vem sendo pauta de discussão desde o início da gestão do prefeito, Diógenes Tolentino. Na sessão ordinária desta terça-feira (13/11), na Câmara Municipal, novamente o assunto norteou alguns comentários negativos, até por parte dos vereadores da situação.

Os vereadores Cleiton (Bolly Bolly) e Eri Costa (Dem), ferrenhos defensores da atual administração municipal chamaram a atenção para as péssimas condições de higiene que as diversas ruas e espaços públicos pela cidade a fora, estão sendo deixados pela empresa terceirizada Jotagê.

Embora o parlamentar Manoel Almeida (Neco) tenha comunicado que se reuniu durante a semana com a direção da empresa, para impor a realização de um planejamento estratégico em caráter de urgência, a fim de sanar as demandas da população, para o vereador Eri, ao invés de ficar se reportando constantemente à empresa, é mais correto que os vereadores se reúnam para cobrar soluções diretamente ao Executivo.

“É louvável que os vereadores tenham ido até a Jotagê questionar a questão da execução do serviço. Todavia, a gente entende que nem seria esse o caminho correto, porque na verdade, a Jotagê tem um contrato celebrado com o município, com suas clausulas, as quais eles devem cumprir. Cabe a nós vereadores cobrar do Executivo que essas clausulas sejam efetivamente cumpridas lá na ponta”, revelou Eri.

De acordo com o edil, é necessário que um novo encontro aconteça entre os poderes Executivo, Legislativo e a própria empresa, para finalmente alinhar as informações. Caso contrário, “ou faz um ajuste no contrato ou dissolve por falta de cumprimento”.

Ainda em sua fala, Eri colocou que é de inteira responsabilidade do prefeito Dinha impor que a situação seja resolvida e admitiu que a limpeza urbana realmente se tornou um problema para a cidade, que não pode ser tratado de maneira comum.

“Cabe ao prefeito, talvez convocar os vereadores e o representante da empresa para ampliar as discussões a respeito do problema, que de fato existe na nossa cidade e agente não pode passar despercebido”, declarou ele.

O retrato de abandono vivido pela população simõesfilhense vem sendo retratado diariamente pelo Simões Filho Online. Em algumas comunidades, a situação do acúmulo de lixo está ficando insustentável. No condomínio Residencial Palmeiras, os moradores estão convivendo constantemente com o mau cheiro, ratos, baratas e proliferação de mosquitos. A comunidade solicitou da prefeitura apenas dois containers de lixo, mas até o memento, não foram atendidos.