Centro oferece curso em Salvador

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Entre alicates, serra, martelos, maçarico e outras ferramentas, os alunos do curso de ourivesaria aprendem a fabricar joias e a trabalhar com diferentes materiais. Com inscrições abertas para novas turmas de nível básico e intermediário, o Centro Gemológico da Bahia, em Salvador, tem formado profissionais para o mercado de trabalho.

Aprenda a fazer essas e outras peças

Homens e mulheres podem se inscrever. A capacitação vale para quem já tem uma profissão ou mesmo para aqueles que procuram um hobby. Os cursos são resultado de parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Segundo a coordenadora do centro, Mônica Correa, os cursos têm contribuído para a formação de profissionais qualificados na arte da gemologia, lapidação, joalheria, modelagem, fundição, cravação e ateliê de criação de joias. “Através da escola de joalheria, estamos formando profissionais completos para o setor, que oferece, inclusive, muitas opções de atuação. O centro tem contribuído para a qualificação de um setor que ainda é carente e que precisamos investir. Moramos em um estado com muita riqueza mineral e temos que valorizar isso”, afirma a gemóloga.

Inscrições

As inscrições para as próximas turmas de nível básico, que começa em abril, e intermediário, com início em maio, podem ser feitas na sede do Senai, no bairro de Dendezeiros. Mais informações sobre os cursos podem obtidas por meio do número 71 3326-1747.

Confira as vagas de empregos abertas

Presença feminina 

Entre as turmas que já se formaram, as mulheres, em especial, tem ganhado espaço e destaque na profissão predominantemente masculina. Considerada uma das melhores alunas da sua turma, Joilda Almeida começou o curso como uma forma de aperfeiçoar uma atividade profissional que já desenvolvia. Após as aulas e com a nova habilidade descoberta, tudo mudou para ela.

“Eu sempre trabalhei com moda e vim para o centro buscando ferramentas para se somar a esse negócio, com a confecção de acessórios, por exemplo. Mas, depois do curso, com tudo que aprendi e desenvolvi nas aulas, hoje vivo da minha atividade de ourivesaria e, com muito orgulho, isso se tornou minha profissão”, explica a ourives formada pelo centro.

Opções de atuação

Além de novos ourives, há quem encontrou no curso um novo mercado, como o professor Israel da Cruz Junior, que é ex-aluno e hoje compartilha o que aprendeu. “Às vezes, quando fazemos um curso, queremos ter uma projeção profissional e isso é real, porque estou como professor e um dia já sentei nas cadeiras em que meus alunos sentam. Isso é muito gratificante”, conta Israel.

E não é apenas para o mercado que o público tem procurado o centro. Para a funcionária pública Letícia Santos, o curso é uma preparação para a aposentadoria. “Em alguns anos, vou me aposentar da atividade profissional e estava procurando novas ocupações. Como sempre gostei de joias, descobri aqui outras habilidades e atualmente presenteio as pessoas da família e amigos com peças produzidas por mim”.