SIMÕES FILHO: Estudantes relatam agressão durante protesto por falta de professores e merenda

Cerca de 300 pessoas, entre estudantes e pais, participaram do protesto

Autor: Débora Souza

Publicada em


Do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online.

A situação da educação na rede publica de ensino em Simões Filho vai de mal a pior. Cerca de 300 pessoas, entre estudantes e pais, protestam em frente à Escola Municipal Enock Pimentel Tourinho, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS). De ac ordo com uma das lideranças locais, o gestor social Valdemar Marinho, 40, o estopim da manifestação foi a queda do muro do referido colégio, mas é também para cobrar professores, materiais e merenda escolar.

“Os estudantes precisam  de oportunidades”, afirmou Marinho, ressaltando a presença de alguns pais para garantir a integridade física dos filhos. Ao portal, ele ainda falou que a polícia tentou tirar os manifestantes da via, sem sucesso.

Em vídeo, uma estudante afirma que o motorista de uma van machucou uma colega, e outra aluna relata um atropelo. “Só queremos estudar. Estamos aqui lutando pelos nossos direitos. Somos humanos e nossa escola não vai parar”, desabafou uma das manifestantes.

Uma guarnição da 22ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) está no local para mediar o protesto e organizar a via para garantir o trânsito dos carros.

O Simões Filho Online tentou contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Simões Filho, mas as ligações não foram atendidas.

Confira vídeos;