TRAGÉDIA: Prédio de 26 andares pega fogo e desaba

Autor: uol

Publicada em


FOTO: Reprodução

Do Aratu Online parceiro do Simões Filho Online

Um edifício de vinte e quatro andares desmoronou após um incêndio de grandes proporções no largo do Paissandu, no centro de São Paulo, por volta das 2h20 da madrugada desta terça-feira (1º). O fogo se alastrou para um prédio comercial vizinho, que permanece em chamas.

Pelo menos uma pessoa morreu e quatro estão desaparecidas, segundo o corpo de Bombeiros. A vítima fatal foi vista pedindo ajuda do oitavo andar, antes do desabamento. O fato também foi registrado no twitter do Corpo de Bombeiros.

O local era uma antiga instalação da Polícia Federal que estava desativada, e havia sido ocupada irregularmente. Segundo apuração inicial do Corpo de Bombeiros, o incêndio teria começado no quinto andar.

Antes do desabamento, alguns moradores foram retirados pelos Bombeiros intoxicados, outros com pequenas escoriações. Não há mais informações sobre a causa do acidente nem detalhes sobre o estado de saúde dos feridos.
Segundo os Bombeiros, o prédio abrigava cerca de 50 famílias, mas a maioria das pessoas estava do lado de fora no momento do desabamento.

Desaparecidos

Pelo menos quatro pessoas estão desaparecidas, segundo relatos dos moradores. Uma delas é dona Ana, 61, mãe do mecânico desempregado Lucas Souza Sampaio, 32. Eles moravam no terceiro andar do prédio que desabou. O rapaz conta que, quando percebeu o fogo, subiu até o sexto para ajudar a irmã, que está grávida e tem um filho pequeno.

Enquanto eles desciam a escada para sair, a parte interna do edifício começou a ceder. Como o fogo era intenso, ele teve que descer direto.

Sampaio já circulou nos arredores do largo do Paissandu e não a encontrou – ele acha que Ana não conseguiu sair. “Não sei se vou encontrá-la”, diz ele, desolado.

O incêndio

Testemunhas disseram ter ouvido um estrondo muito alto. Moradores negam a versão de que um botijão tenha explodido, já que seu uso era proibido pelas normas internas da ocupação. A cozinheira e microempresária Eva Vilma Sobero Pio, 57, mora no prédio ao lado do que desabou e estava acordada no momento. Ela ouviu vidros quebrando e muitos gritos.

Os Bombeiros enviaram 57 viaturas e 10 homens para o combate ao fogo. Por conta do incêndio, a avenida Rio Branco está totalmente interditada entre o largo do Paissandu e a avenida Ipiranga.

Por volta das 4h15, homens da Defesa Civil começaram a reunir os moradores para um cadastramento prévio das famílias, para identificar a melhor forma de oferecer ajuda e abrigo. Pouco antes, um grupo de moradores cogitou passar a noite em outro prédio ocupado, no bairro de Santa Cecília.

Segundo Cesar Hernandes, coordenador do setor de emergências da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social da prefeitura, serão fornecidos cobertores e colchões para os moradores dos dois prédios que tiverem como se hospedar em casas de parentes. Os que não tiverem para onde ir devem ser encaminhados para centros de acolhida da região.