Vadão morre aos 63 anos em São Paulo; técnico já passou por Bahia e Vitória

O treinador Oswaldo Alvarez, conhecido como Vadão, morreu nesta segunda-feira (25/5) no Hospital Albert Einsten, em São Paulo.

Ele, que tinha 63 anos, lutava contra um câncer no fígado descoberto no início do ano, já em estado avançado, e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva desde a última semana.

Entre vários clubes brasileiros, Vadão treinou os times do Bahia e do Vitória, além além da seleção brasileira feminina. Sem trabalho desde que deixou as “canarinhas” em julho de 2019, eleo luta contra a doença há cinco meses e foi hospitalizado na semana passada devido às complicações.

Suas passagens mais marcantes foram por Guarani e Ponte Preta, equipes que dirigiu em cinco e quatro ocasiões diferentes, respectivamente. Morador de Campinas, ele nunca perdeu o dérbi da cidade: cinco vitórias e quatro empates.

A família ainda não deu detalhes sobre a data e local do enterro do corpo de Vadão.

CBF

Por meio de uma publicação no Instagram no perfil da Seleção Feminina de Futebol, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), lamentou a perda. “O Futebol Brasileiro agradece por toda sua contribuição. Sentiremos falta da sua liderança e do seu exemplo. Esteja em paz, Vadão!”, diz trecho da postagem.

 

Veja mais