Vereadores da base se revoltam com prefeito Dinha; “Vamos votar em Eduardo Alencar então que é melhor”

.

Autor: Redação

Publicada em


A votação do Projeto de Lei 031/2018, oriundo do Executivo Municipal que cria a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, com as funções da extinta SESP “deu pano para a manga”, na sessão ordinária da última terça-feira (11/12) em Simões Filho.

Uma extensa discussão em torno da aprovação da matéria mostra que a orquestra comandada pelo prefeito Diógenes Tolentino já não anda tão afinada quanto deveria e a sensação de desarmonia entre os vereadores da base governista é notória.

Em seu pronunciamento, o vereador Vel (PRP) gerou uma grande polêmica sobre a real necessidade de se criar uma nova secretaria, diante da crise econômica que o município vive e sem nenhuma justificativa plausível.

“Eu quero que vocês entendam que eu sou vereador da situação, não sou oposição. Tudo que chegou nessa casa a gente sempre disse amém, mas como vereador, a gente tem o direito de votar sim ou contra e ser respeitado. A gente vê algumas secretarias que vão ficar a mesma coisa, não vão mudar nada”. O vereador Orlando de Amadeu vem sempre dizendo aqui que a folha está alta, que a dívida era de 300 milhões e agora deve 400 milhões e chega um momento que a gente começa a analisar, para que essa secretaria agora com a crise que estamos passando na nossa cidade”.

Vel ainda questionou a ausência do vereador Sandro Moreira na sessão, que mesmo sendo vereador de oposição assinou o parecer favorável a criação da nova pasta. “Quero perguntar ao vereador Sandro Moreira porque ele é oposição e assinou. O que é que está acontecendo, então não tem oposição na cidade. Tem alguma coisa de errado”, disse ele.

O edil foi interrompido pelo presidente da Casa, Genivaldo Lima, que chegou a perguntar se Vel se tornou oposição, mas ele respondeu dizendo que sempre esteve do lado do Dinha, mas se é para a oposição ter tratamento melhor do que os vereadores da base, então é preferível que ele mude de lado.

“Eu não sou oposição, mas nesse projeto eu não voto a favor. Está de goela abaixo este projeto, não é assim não. Eu vejo todo mundo criticando o vereador Sandro e hoje estão elogiando. Sandro está cheio de advogado hoje aqui viu. Simões Filho 1 está aí sem obra nenhuma. Será que só existe obra no Cia, na Via Universitária. Vamos votar em Eduardo Alencar então que é melhor, porque está a mesma coisa. Eu tô com Dinha, mas ele tem que trabalhar também pelos bairros periféricos. Tem alguma coisa errada e a partir de hoje vou dar pancada em Sandro Moreira, porque isso que ele fez não é coisa de homem

Os vereadores Elimário e Boly Boly também defenderam a posição de Vel comentando que de fato existe uma situação estranha envolvendo o projeto e que precisa ser esclarecida. “Sandro bem pouco participa das reuniões das comissões, ontem ele veio e assinou o projeto. O presidente disse nesse instante que era pra Vel sair da tribuna porque não tinha condições de discutir, porque não estava na sessão passada. Agora Sandro não vem para as comissões, não está presente e aprova o projeto. A coisa está muito escura mesmo. A gente precisa de mais clareza e transparência, porque o estado democrático me dá direito de defender a minha tese e a opinião nossa não está sendo válida”, disse Elimário.

Chateada com os questionamentos dos nobres colegas, a vereadora e primeira-dama Kátia Oliveira declarou que “os vereadores deveriam ter mais responsabilidade ao usar o microfone e que eles também precisariam respeitar a opinião dos edis que consideram o projeto bom e votam a favor dele”.