Onda de violência próximo as faculdades estão assustando estudantes em Salvador

De acordo com alguns estudantes, casos de roubos estariam tornando-se comum.

Autor: Chris Oliviery

Publicada em


A onda de violência próximo as faculdade estão assustando estudantes de Salvador, principalmente no período noturno. Criminosos aproveitam a movimentação intensa de jovens para cometer crimes.

Um dos trechos campeões de reclamações é o da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Em 2014, alunos espalharam placas ironizando crimes perto da Faculdade de Direito. Avisos foram colocados na Rua da Paz e Conde Filho, no bairro da Graça. Iniciativa de estudantes busca chamar atenção para risco de assaltos.

“Foram dias tensos, assaltos atrás de assaltos, parecia brincadeira. Os ladrões não se intimidavam com o movimento da rua ou horário”. Comentou aluno que prefere não se identificar.

Preocupados, alguns estudantes optam por ir de carona com outros alunos para a faculdade ou ir com o transporte público. “Se a gente parar o carro onde está escuro, é assaltado, se parar perto da faculdade é multado por não ter muitas vagas. Então a gente vem de carona ou de ônibus, completou aluno”.

Outra instituição que também requer atenção redobrada é a Faculdade Estácio FIB, localizada no bairro do Stiep, alunos alegam que os assaltos permanecem, mesmo depois do isolamento da entrada pelo estacionamento, conhecido como “G4”.

Para o estudante de Engenharia, Mirelle Ribeiro, o problema influencia no rendimento acadêmico, principalmente pela sensação de insegurança. “Os assaltos continuam, só que agora na ladeira e com o risco de atropelamento, pois dividimos uma calçada estreita com os buracos e carros um pouco desgovernados”. Disse a jovem.

As reclamações rondam as faculdades, na Unime não é diferente, os números de alunos insatisfeitos com a segurança não são poucos.

“A faculdade até colocou segurança particular no período da noite, mas os assaltos ainda nos rondam”, diz Itálo Moura, Estudante da Unime.

“Acho que uma catraca com identificação seria um bom sistema para diminuir o índice de assaltos e consequentemente de pessoas aleatórias, diz Thales Albieri, estudante da UFBA.”

Alguns fatores têm contribuído para que os números de assaltos cresçam, entre eles, a pouca iluminação no perímetro urbano de algumas faculdades da capital baiana. O que requer atenção redobrada de motoristas, e principalmente, dos estudantes, que precisam trafegar pelo local a pé durante a noite.

A reportagem entrou em contato com as instituições citadas na matéria, mas não teve suas chamadas atendidas.